23.5.09

Isabel Gondim


Isabel Urbana Carneiro de Albuquerque Gondim nasceu em Papari, hoje município Nísia Floresta, estado do Rio Grande do Norte. Era poeta, educadora, dramaturga, ensaísta e autora de livros didáticos. Segundo os críticos da época era dotada de grande inteligência com dons especiais para a literatura. Isabel era especialmente preocupada com a formação das mulheres. Notando a falta de um livro escrito na Língua Portuguesa, destinado à primeira educação da mulher, ela resolve escrever este livro, destinado à educação nas escolas primárias do sexo feminino, oferecido pela autora ao governo dos Estados Unidos do Brasil. Seus livros foram muito adotados nas escolas públicas até o início do século XX. Em 1873, escreveu Reflexões às minhas alunas indicado nas escolas femininas. O livro tinha o cunho moralista analisando os vários momentos da vida feminina: da menina em fase escolar, da moça em puberdade, da moça em sua juventude, da mulher casada e da mulher mãe.O Sacrifício do amor, foi uma peça de teatro em cinco atos.Isabel Gondim foi a primeira mulher eleita sócia efetiva do Instituto Histórico Geográfico do Rio Grande do Norte e do Instituto Arqueológico de Pernambuco.
Isabel Gondim configura a historicidade dos seus textos, a publicação, as edições e o momento histórico da educação no Brasil, principalmente no Rio Grande do Norte.Na casa de Isabel se reuniam os intelectuais da época onde realizavam grandes saraus. A escritora é a patrona da cadeira nº. 8 da Academia Norte-rio-grandense de Letras. Os seus poemas publicados em jornais foram reunidos no livro A lyra singela, em 1933. Seu longo poema ufanista e romântico O Brasil, teve grande repercussão de público. Nesse poema a escritora louvou as belezas da pátria amada.

2 comentários:

Lllullu Potiguar disse...

Adorei o seu blog! É um blog de pesquisa. Maravilhoso!

Josimar Denes disse...

Sou Natalense de Coração. Morei na Rua Varela Santiago, 518 nas Rocas. Estudei no antigo Grupo Escolar Isabel Gondim, na época com a direção de professor Acrisio, professora Maria do Socorro, que além de ensinar portugues, ensinava religião. Quantas saudades e muitas homenagens para esta grande escola, que formou tantos. Parabéns pela grande iniciativa.